domingo, 4 de dezembro de 2011

Eu acredito...






Eu acredito no sol mesmo quando ele não está brilhando.
Eu acredito no amor mesmo quando não o sinto.
Eu acredito em Deus mesmo quando Ele está em silêncio.


- Palavras encontradas numa parede de um centro de concentração.


***
O teólogo Moltmann, que foi prisioneiro de guerra, rebate a pergunta de Emanuel Lévinas – “Como falar de Deus depois de Auschwitz?” – com a seguinte provocação: “De quê, então, é para falar depois de Auschwitz, senão de Deus”? De quê, então falar? E como não falar de Deus depois de Auschwitz? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário