quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Oração tempestiva: e reconciliação com Deus




É consensual que a postura devida do espírito humano diante de Deus, em oração, deve ser de prostração, humilhação, temor. Contudo, há que se ter concessões: os homens íntimos de Deus, quase sempre foram homens que lutaram com Deus: e a Bíblia registra algumas dessas lutas.

O livro dos Salmos é o livro de oração da Bíblia. E algumas dessas orações são tempestivas, um protesto!

Os profetas especialmente, tem um histórico de confrontos. 

Assistindo uma cena do filme Forest Gump, em que o Capitão Dan, ressentido contra Deus por conta da tragédia pessoal em que, em guerra, perdera as pernas, ele, em fim, o confronta. O cenário é tempestivo. Mas, após a tempesdade, o Capitão Dan fica em paz com Deus e consigo mesmo. O personagem perde a amargura, e sua vida ganha sentido.

Essa cena me remete aos registro bíblicos de confronto com Deus. Não que seja um direito do homem, mas Deus é paciente com nossa humanidade, e, sim, permite desabafos e franqueza.

Abaixo, primeiro está a cena referida. Após, um dos confrontos registrados na Bíblia.


video


CENA I

A Queixa de Habacuque (Cap 1): a Injustiça sem punição


2 Até quando, SENHOR, clamarei por socorro, sem que tu ouças? Até quando gritarei a ti: “Violência!” sem que tragas salvação?
3 Por que me fazes ver a injustiça, e contemplar a maldade? A destruição e a violência estão diante de mim; há luta e conflito por todo lado.
4 Por isso a lei se enfraquece e a justiça nunca prevalece. Os ímpios prejudicam os justos, e assim a justiça é pervertida.


12 SENHOR, tu não és desde a eternidade? Meu Deus, meu Santo, tu não morrerás. SENHOR, tu designaste essa nação para executar juízo; ó Rocha, determinaste que ela aplicasse castigo.
13 Teus olhos são tão puros que não suportam ver o mal; não podes tolerar a maldade. Então, por que toleras os perversos? Por que ficas calado enquanto os ímpios devoram os que são mais justos que eles?


CAP 2

1 Ficarei no meu posto de sentinela e tomarei posição sobre a muralha; aguardarei para ver o que o SENHOR me dirá e que resposta terei à minha queixa.



CENA II

A Resposta do SENHOR: Deus fará justiça

2 Então o SENHOR me respondeu:
“Escreva claramente a visão em tábuas, para que se leia facilmente.
3 Pois a visão aguarda um tempo designado; ela fala do fim, e não falhará. Ainda que demore, espere-a; porque ela certamente virá e não se atrasará.
4 “Escreva: O ímpio está envaidecido; seus desejos não são bons; mas o justo viverá pela sua fidelidade.
5 De fato, a riqueza é ilusória, e o ímpio é arrogante e não descansa; ele é voraz como a sepultura e como a morte. Nunca se satisfaz; apanha para si todas as nações e ajunta para si todos os povos.
6 “Todos estes povos um dia rirão dele com canções de zombaria, e dirão: “ ‘Ai daquele que amontoa bens roubados e enriquece mediante extorsão! Até quando isto continuará assim?’
7 Não se levantarão de repente os seus credores? Não se despertarão os que o fazem tremer? Agora você se tornará vítima deles.
8 Porque você saqueou muitas nações, todos os povos que restaram o saquearão. Pois você derramou muito sangue, e cometeu violência contra terras, cidades e seus habitantes.
9 “Ai daquele que obtém lucros injustos para a sua casa, para pôr seu ninho no alto e escapar das garras do mal!
10 Você tramou a ruína de muitos povos, envergonhando a sua própria casa e pecando contra a sua própria vida.
11 Pois as pedras clamarão da parede, e as vigas responderão do madeiramento contra você.
12 “Ai daquele que edifica uma cidade com sangue e a estabelece com crime!
13 Acaso não vem do SENHOR dos Exércitos que o trabalho dos povos seja só para satisfazer o fogo, e que as nações se afadiguem em vão?
14 Mas a terra se encherá do conhecimento da glória do SENHOR, como as águas enchem o mar.
15 “Ai daquele que dá bebida ao seu próximo, misturando-a com o seu furor, até que ele fique bêbado, para lhe contemplar a nudez.
16 Beba bastante vergonha, em vez de glória! Sim! Beba você também e exponha-se! A taça da mão direita do SENHOR é dada a você, muita vergonha cobrirá a sua glória.
17 A violência que você cometeu contra o Líbano o alcançará, e você ficará apavorado com a matança, que você fez, de animais. Pois você derramou muito sangue e cometeu violência contra terras, cidades e seus habitantes.
18 “De que vale uma imagem feita por um escultor? Ou um ídolo de metal que ensina mentiras? Pois aquele que o faz confia em sua própria criação, fazendo ídolos incapazes de falar.
19 Ai daquele que diz à madeira: ‘Desperte!’ Ou à pedra sem vida: ‘Acorde!’ Poderá o ídolo dar orientação? Está coberto de ouro e prata, mas não respira.
20 O SENHOR, porém, está em seu santo templo; diante dele fique em silêncio toda a terra”.



CENA FINAL

O novo TOM na Oração de Habacuque (Cap 3)

1 Oração do profeta Habacuque. Uma confissão.
2 SENHOR, ouvi falar da tua fama; tremo diante dos teus atos, SENHOR. Realiza de novo, em nossa época, as mesmas obras, faze-as conhecidas em nosso tempo; em tua ira, lembra-te da misericórdia.
3 Deus veio de Temã, o Santo veio do monte Parã. Sua glória cobriu os céus e seu louvor encheu a terra.
4 Seu esplendor era como a luz do sol; raios lampejavam de sua mão, onde se escondia o seu poder.
5 Pragas iam adiante dele; doenças terríveis seguiam os seus passos.
6 Ele parou, e a terra tremeu; olhou, e fez estremecer as nações. Montes antigos se desmancharam; colinas antiqüíssimas se desfizeram. Os caminhos dele são eternos.

9 Preparaste o teu arco; pediste muitas flechas.

12 Com ira andaste a passos largos por toda a terra e com indignação pisoteaste as nações.

13 Saíste para salvar o teu povo, para libertar o teu ungido. Esmagaste o líder da nação ímpia, tu o desnudaste da cabeça aos pés.


16 Ouvi isso, e o meu íntimo estremeceu, meus lábios tremeram; os meus ossos desfaleceram; minhas pernas vacilavam. Tranqüilo esperarei o dia da desgraça, que virá sobre o povo que nos ataca.
17 Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras, mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos,
18 ainda assim eu exultarei no SENHOR e me alegrarei no Deus da minha salvação.
19 O SENHOR, o Soberano, é a minha força; ele faz os meus pés como os do cervo; faz-me andar em lugares altos. Para o mestre de música. Para os meus instrumentos de cordas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário