quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

Ser Pão na vida

"O equilíbrio de nossas vidas jaz no uso da solidão com Deus para enriquecermos a comunidade com nossos amigos"
(James Houston)

Os tempos são maus. Quando perguntam a Jesus quem seria o "próximo", Jesus responde contando a história de alguém que enxerga o outro. E, nessa mesma história, conta mais: há personagens cegados pela religião ou por uma ideologia.

Amar o próximo é, antes de tudo, percebê-lo.

Próximo é aquele que vemos como humano, e, portanto, em toda a possibilidade de necessidade. É vê-lo em sua carência, ainda que seja um "judeu", isto é, um inimigo. É vê a pessoa (e nisso, um igual) por trás da ideologia (ainda que contrária a nossa). É ajudar sem perguntar se jogamos no mesmo time. A mão direita, não deve saber da esquerda.

Os tempos são maus, são tempos de individualismo. De vida urbana, de relações eventuais. Onde se vive em meio a milhares, mas se vive com um ou dois. Tempos onde o núcleo familiar foi desintegrado, ninguém é de ninguém, e cada um seja por si.

Em tempos onde todos são ameaçados, as nossas próprias necessidades justificam qualquer indiferença.

O cenário geral da sociedade humana é um cenário mais do que nunca, anti-evangelho.

O paradigma da vida cristã é a qualidade das relações. Uma "virtude" cristã (se assim podemos chamar), nunca é uma virtude de si para si. Mas sempre referente a uma relação. O manso o é em relação a outro. A vida cristã é uma vida partilhada.

Cristo de doou. Ele é o Pão da Comunhão. É o Pontífice, que cria e fortifica os elos. Nele, temos o paradigma de uma teia de relações: o Reino de Deus.

Em Cristo, ninguém vive para si. Ninguém é auto-nomo. Ninguém não se partilha, ninguém se fecha. Ninguém é autossuficiente: se basta a si mesmo.

A lógica desse modo de existir é a lógica do corpo: você existe para outros, e existe, dependendo de outros. Você enriquece a outros, melhora a outros. Você é essencial a outros!

Em outras palavras: encontramos sentido no outro!

Que Deus nos conceda a dádiva de existir sendo "o pão" partilhado a outras existências.

nEle, o Elo

Eric Brito
08/02/2012

Um comentário: