domingo, 23 de fevereiro de 2014

A dimensão sobrenatural



Uma nova moda teológica: "A dimensão sobrenatural"

Juan Stam

Em vários meios de comunicação circula um convite para um grande seminário que leva o impressionante título "Vivendo o Sobrenatural". Um outro diz: "Nosso clamor a Deus é para teu milagre". Faz pouco tempo que escutei Rony Cháves chamar a todos a "entrar em um espaço profético".

Esta linguagem, e outras frases similares e muito relacionadas, estão se tornando comum no sempre sensacionalista jargão das grandes estrelas da igreja televisiva. É o EVANGELHO DAS OFERTAS levado ao seu limite, agora o de "VIVER NO SOBRENATURAL".

Em 2010, um pregador de nome Joel relacionou estes conceitos diretamente com a OFERTA que pedia como "SEMEADURA". "Entre em um novo nível", exortava o pregador, "por um posicionamento [ou ato de fé]. [Outro aporte impressionante ao léxico teológico!]. Diga agora mesmo, me uno a este tempo profético, tome já o telefone para fazer um pacto com Deus". A oferta é como a porta do céu!

Um corolário desta doutrina se chama "rompimento". Em inglês o termo significa sair de uma condição para uma nova. O "apostolo" Maldonado fala em "romper a um nível sobrenatural" e "intercessão de alto nível; uma oração sobrenatural". 

É muito impressionante a criatividade desses movimentos em inventar novas fórmulas, como se inventar novas frases nos comunicasse novas e profundas verdades. Mas sempre teremos que perguntar quanta base bíblica tem essas novidades e quão fiel bíblica e teologicamente são suas propostas para a vida de fé. 

A quê se deve este estranho afã de "irromper na dimensão sobrenatural"? Poderia-se interpretar como um anelo de escapar do humano e do histórico? Ou pior, uma ambição implicitamente idolátrica de subir ao céu e ser um pouco igual a Deus? Ou será simplesmente mais uma tática de alguns pregadores que, sem ter algo sério e bíblico para dizer a seus ouvintes, se afanam em inventar novas frases e conceitos exóticos para entreter a seu público e manter sua própria popularidade e êxito?

Texto original e completo: AQUI

Nenhum comentário:

Postar um comentário